Ultimas Noticias

6/recent/ticker-posts

Veja os pontos turísticos que o Piauí pode agregar em disputa com o Ceará - Território em disputa

📷Foto de Reprodução
🏠Piauí

Pelo menos 244.712 pessoas poderão passar a ser piauienses devido a disputa judicial entre os estados de Ceará e Piauí, alvo de processo no Supremo Tribunal Federal.

O imbróglio envolve uma área de aproximadamente 3 mil km², ou seja, 1,9% do território cearense, de acordo com levantamento do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece).

Neste âmbito, alguns pontos históricos e turísticos do Estado vizinho passariam para o Piauí, caso a decisão do STF seja favorável ao pleito piauiense, dentre os quais destaca-se o Parque Nacional de Ubajara e a Igreja de Pedra.

As cidades que podem ser diretamente beneficiadas no Piauí com o processo, são: Luís Correia, Cocal, Cocal dos Alves, Pedro II São João da Fronteira, Buriti dos Montes e São Miguel do Tapuio.

O território alvo da ação, abrange no Ceará os municípios de Granja, Viçosa, Tianguá, Ubajara, São Benedito, Carnaubal, Guaraciaba do Norte, Croatá, Ipueiras, Poranga, Ipaporanga e Crateús.

Continua depois da publicidade:

De acordo com as informações do STF, a disputa envolvendo as áreas surgiu após a publicação do Decreto Imperial 2012, de 22 de outubro de 1880, que alterou a linha divisória das então duas províncias.

Em 1920, sob mediação do presidente Epitácio Pessoa, os dois estados assinaram um acordo arbitral, com a previsão de que o Governo da República mandaria “engenheiros de confiança” fazerem um levantamento geográfico da região, o que nuca ocorreu até os dias hoje.

A bancada federal do Ceará tem se articulado para que as terras continuem no Estado, ao todo, mais 598 torres eólicas, 117 áreas de mineração, 21.747 estabelecimentos agropecuários, a Unidade de Conservação Estadual Bica do Ipu, a Unidade de Conservação Federal (Parque Nacional de Ubajara), 2 açudes (Jaburu/Ubajara e Lontras/Ipueiras) e 1.549 poços profundos passariam para o lado piauiense, caso o STF dê ganho de causa ao pleito do Governo local.

Confira a seguir alguns pontos turísticos que podem ser agregados ao Piauí:

Parque Nacional de Ubajara (Ubajara):


O Parque Nacional de Ubajara, Unidade de Conservação Federal de Proteção Integral, localizado nos municipios de Ubajara,Tianguá e Frecheirinha, está aberto à visitação, onde dispõe de alguns atrativos tais como: trilhas, mirantes, grutas e cachoeiras.

Se encontra instalado no interior do Parque, um Teleférico (bondinho), o qual é administrado pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Turismo - SETUR, e que está parado aguardando o processo de modernização.

Gruta:


O Parque Nacional de Ubajara, Unidade de Conservação Federal de Proteção Integral, localizado nos municipios de Ubajara,Tianguá e Frecheirinha, está aberto à visitação, onde dispõe de alguns atrativos tais como: trilhas, mirantes, grutas e cachoeiras.

Se encontra instalado no interior do Parque, um Teleférico (bondinho), o qual é administrado pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Turismo - SETUR, e que está parado aguardando o processo de modernização.

Bondinho:


O Teleférico (bondinho) fica suspenso em cabos de aço, onde faz um trajeto de 550 metros, entre a Estação Superior e Inferior.

O bondinho é utilizado pelos visitantes que pretendem visitar a Gruta de Ubajara, única aberta à visitação, ou até mesmo, para aqueles visitantes que pretendem, somente fazer o passeio no bondinho, apreciando as belezas naturais que o Parque propicia.

O teleférico é utilizado, também, pelos moradores da Distrito de Araticum, municipio de Ubajara, os quais utilizam como meio de transporte.

Igreja de Pedra (Poranga):


Unidade de Conservação Estadual Bica do Ipu:


A Unidade de Conservação Estadual Bica do Ipu também pode ser incorporada ao Piauí caso o Estado vença o litígio.

Redação do Portalphb Com informações do Meio Norte

Postar um comentário

0 Comentários